Pages

Subscribe:

Labels

quarta-feira, 10 de março de 2010

O Vale dos Anjos o Torneio dos Céus - Capítulo 1: A Morte não é o Fim - Parte 1

Boa Noite leitoras e leitores!

Estive pensando em diversos assuntos bacanas para tratar com vocês ao longo das próximas semanas. Mas acho que seria interessante dar uma palinha do que será o livro O Vale dos Anjos - O Torneio dos Céus que será publicado em Julho pela novo século.

Então aproveitem o primeiro de 2 posts com o primeiro capítulo na Íntegra! Acompanhem: A morte não é o fim.

Era uma tarde calma e pacata em Atenas. O céu estava claro, com poucas nuvens, o que dava a impressão de que não choveria naquele dia. As avenidas estavam lotadas, e a grande maioria das pessoas reunia-se em bares da região logo após a saída do emprego. Em meio a essa multidão estava Dimítris, um homem que, como a maioria, sempre dava uma passada em um dos bares da Praça Omonia para fazer um happy hour com os amigos no agitado centro de Monastiraki, um bairro bem povoado e um dos mais visitados por turistas durante todo o ano. Dimítris, no auge dos seus vinte e dois anos, estava sentado em uma das mesas do bar, conversando sobre a vida e assuntos cotidianos, daqueles que só serviriam para passar o tempo e aumentar o laço entre os companheiros de empresa. Aliás, Dimítris trabalhava em uma das melhores e maiores empresas de informática da região, que possuía uma filial em Atenas, e Dimítris, muito habilidoso, trabalhava no departamento de manutenção dos servidores locais, tarefa que exercia com extrema excelência. Ele tinha vários colegas de trabalho e a tradição sempre fazia com que se reunissem após o expediente, e, nesse período, falar de trabalho era proibido, o que tornava esse momento tão especial para ele.
As horas passaram rapidamente, por isso, de maneira discreta, já que muitos haviam extrapolado, o grego, após despedir-se dos amigos, foi para casa. Dimítris foi dirigindo até sua casa, estava ansioso para encontrar sua esposa, Mariah, e sabia que um delicioso jantar estaria a sua espera.
Chegando em casa a esposa, demonstrando uma enorme alegria, o recepcionou com um beijo demorado e caloroso, daqueles de dar inveja a qualquer diretor de cinema. Mariah era uma bela mulher, com cabelos castanhos e encaracolados, e que possuíam um brilho extraordinário, além, é claro, dos belos olhos verdes, característica que a tornava ainda mais atraente. Dimítris não deixava por menos: tinha cabelos loiros e um pouco compridos, quase na altura dos ombros, e os olhos azuis. Era o que podemos chamar de um homem de presença. Ambos de pele branca, realmente formavam um belo casal, fato que era constantemente comprovado por amigos e pelas pessoas que os viam.
Assim, a noite passou muito alegre para o casal Saloustros. Dimítris contara sobre seu dia de trabalho e o casal compartilhava os momentos difíceis e gratificantes do dia. Estavam casados havia menos de dois anos; um período em que o grego fora extremamente feliz, pois descobrira finalmente o que significava ter uma mãe, visto que nunca conhecera a sua; o pai, Parnasos, nunca quisera falar nada e jurava que o encontrara na porta de casa, abandonado por alguém que ele desconhecia. Desse modo, o grego via em sua esposa uma mãe e amiga.
Naquela noite, porém, ele não conseguiu dormir, pois teve inúmeros pesadelos, e em todos eles Dimítris dirigia um carro quando, de repente, sofria um acidente. Mas o que mais o intrigava nesses sonhos era a presença de um ser desconhecido que usava capuz branco. Dimítris acordou inúmeras vezes para caminhar e, para isso, levava sempre seus óculos... Em uma dessas vezes teve de ir até o banheiro para limpá-los, pois estavam embaçados devido ao excesso de suor em seu rosto. Para se acalmar, ele se dirigiu até a sala de estar, a fim de ouvir um pouco de rock, assim podia esquecer aquele sonho e pensar em coisas mais agradáveis. Isso era um costume que o acompanhava desde sua juventude: sempre que estava nervoso ou apreensivo, colocava um bom rock e logo as ideias fluíam e o medo se dissipava.
Ao amanhecer, Dimítris sentia-se estranho, parecia que a noite não fizera bem a ele. Após tomar seu café, estava saindo de casa quando sua esposa, Mariah, veio se despedir dele:
— Não vai se despedir de sua esposa?
— Claro, querida, mas antes gostaria de lhe dizer uma coisa e queria que você me prometesse que me responderá com toda sinceridade
Esse tipo de atitude era incomum para Dimítris; o grego nunca tivera vontade de fazer tais perguntas, mas algo o incomodava, e sabia que só se sentiria melhor se dissesse. Sua esposa sempre fora muito amável, afinal, não era todos os dias que se encontrava um marido carinhoso, atencioso e totalmente dedicado a ela, por isso ela se sentia confortável e protegida, situação que não ocorria em sua família por causa da separação de seus pais:
— Claro, afinal, somos casados há dois anos. Pode dizer!
No entanto, Mariah havia estranhado o comportamento de Dimítris, que não costumava fazer esse tipo de brincadeiras ou perguntas repentinas.

O que será que ele dirá a sua esposa???

Aguardem a parte 2!! Ao final dos posts liberarei o primeiro capítulo para download!!!

Espero que gostem! Comentem à vontade!!!

No próximo post novidades sobre o mercado literário! Vou mostrar como os autores daqui não perdem nada para os estrangeiros! Vampiros, Anjos, Dragões? Temos todos esses gêneros aos nossos olhos! È só procurar!

Até a próxima queridos leitores!

L. S. Schulai

17 comentários:

  1. Ai que curiosidade uhaushausha
    Esperando pela 2ª parte =)

    ResponderExcluir
  2. parabéns.. fico mto feliz pelo seu sonhos estar se realizando..
    coloca logo a segunda parte...rs
    Abração e mto sucesso.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Leandro!
    A pergunta do momento é: O que será que ele dirá a sua esposa? Hehehehe!
    Espero ansioso pela segunda parte!
    Está realmente muito bom!

    Um abraço,

    Andrés.

    ResponderExcluir
  4. Falando em Vampiros, existe um livro totalmente excelente que faz os pelos da sobrancelha arrepiarem: "Let the right one in". Suéco. Ótimo. Fica aqui a dica. De resto, acompanharei os próximos capítulos! Manda bala.

    ResponderExcluir
  5. Hum adorei posta logo a segunda parte é muito legal, O que será que ele dirá a sua esposa? realmente eu estou muito curiosa =/.....
    Concerteza estarei acompanhando os proximos!!

    ResponderExcluir
  6. Fala Schulai!
    Boa!!! Lembro de já ter lido esse capitulo, hehehe! Continua o bom trabalho cara! Tá animal!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Me deixou curiosa ..... (O que será que ele dirá a sua esposa???) ... quero saber .... deixa eu ir logo para a parte 2!!!!!!!!!!!!!!!1

    ResponderExcluir
  8. PQP, é por isso que eu odeio ler fragmentos... Eu sempre fico querendo mais... =)

    ResponderExcluir
  9. Adorei o nome do protagonista! Mal posso esperar pra ler o segundo post, o que vou fazer agora (rsrsrsrs).
    Parabéns, a história parece ser boa!

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante.....espero anciosa pela segunda parte. Abraço

    ResponderExcluir
  11. Caraaa, você me deixou curiosa!! Ahh, e parabéns, já gostei da 1ª parte do Capítulo 1.
    Vou ler a segunda parte. =)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Amei , esse livro ! é muito muito legal , estou muito curiosa pra ler O Vale dos Anjos Torneio dos Céus - Capítulo II . Parabéns Leandro :}
    beeijos ;**

    ResponderExcluir
  13. MUito bom , interessante , mas penso que vc deveria deixar seu livro selado para que possamos compra-lo e não baixar através de download . mass boa sorte ..

    ResponderExcluir
  14. muito legal sinceramente não sou de ler livros mas esse livro me atraiu é vejo que não me arrependo gostei pastante abraços é muitos susseços pra ti...

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Olá Leandro, Parabéns pelo livro, está muito bom... boa sorte!

    ResponderExcluir