Pages

Subscribe:

Labels

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Dia do Escritor - o que é ser um escritor?

Fala pessoal tudo bem?

Viram o layout novo do site? Gostaram? Agora dá até vontade de postar todo dia rsrsrs.





Aproveitando que hoje é um dia muito especial para mim e para todos resolvi compartilhar um pouco do que é esse sentimento, essa vida, esse sonho, essa vislumbre de ser um escritor.






Tudo começa com um vislumbre, uma cena, um momento. Pode ser no ônibus, no carro, no chuveiro ou mesmo no meio de uma discussão de relacionamento. Nessa hora a Terra para. Nessa hora você se dá conta: tenho uma boa história para contar. Muitas vezes, para quem está escrevendo seu primeiro livro essa cena vem com um misto de ansiedade, empolgação e positivismo: meu livro será o novo Harry Potter, nunca ninguém escreveu algo parecido antes, vou ficar rico!


História na cabeça é hora de rabiscar, migrar a cena da cabeça para o papel, montar os primeiros personagens, escrever o primeiro capítulo! Quanta emoção! Meu bebê começa a ganhar forma.

Dias se passam.

Horas.

Fins de semana em frente ao computador, viagens canceladas, noites em claro. São horas de pesquisa para descobrir um restaurante na Polônia, dias para definir o nome de um açougueiro, infinitos dias pesquisando no Google Street View a cidade onde sua aventura acontece.

O bebê já começa a aparecer. Já dá pra sentir ele chutar!

Nesse momento o primeiro susto: o bloqueio criativo! E agora? To na metade do livro e não sei para onde ir, estou sem inspiração, não está tão bom como eu imaginava? Será que vou abortar?

Para quem passou por isso sabe que nessa hora nada melhor do que relaxar e repouso absoluto!


Passados os sustos é hora de terminar a história! O Climax, revelações, encerramento. Tudo vai sendo colocado no papel. Será que as pessoas vão gostar do meu final? Será que vão chorar?


O bebê já está quase para nascer, mas ainda faltam os retoques: cabelo, cor do olho, personalidade, quanta coisa!

É hora da revisão e do leitor beta! É hora de permitir que outros leiam seu trabalho. Nesse momento a agonia controla, será que vão achar meu livro tão bom quanto eu? Olha só isso eu não quero que muda porque fica melhor assim! Ei, está mudando meu jeito de escrever! Pai e mãe é tudo igual!


Passado o calor do processo agora é hora de escolher o hospital, mas e agora? Não tenho plano de saúde e preciso que algum hospital me aceite, o que eu faço?


É hora de encontrar uma editora. Pesquisa, medo, envio de originais. O primeiro não chega e com ele muito choro. Sou uma porcaria. Joguei meu tempo no lixo. O segundo não. Vou desistir. O primeiros sim.

Sim!
Sim!
Sim!

Meu filho foi aceito! Eu sabia! Ele é lindo! O melhor! Sou foda!


Agora é hora de marcar o parto. Momentos de tensão. A hora mais esperada está chegando. Todos que eu amo e quero por perto tem de estar comigo nesse momento. Não posso estar sozinho. Quero compartilhar minha felicidade com o mundo!


E o dia chegou.

O dia que poderia durar 72 horas que ainda seria pouco para descrever a aletria da noite de autógrafos. Ver seus amigos, familiares, leitores e admiradores, todos ali, vendo o nascimento do seu bebê é um sentimento que compensa tudo. Os anos de tensão. Os anos de pesquisa. Os momentos de descrença. As piadas dos que não acreditavam.


Com o nascimento vem os comentários. Que bebê lindo. É a cara do pai! Nossa tem cara de joelho. Opa! Falar mal do meu filho não, eu não aceito!


É hora de lidar com as críticas. Como assim não gostei do livro? Está maluca? É o meu livro que você está falando! Ah como você não entendeu essa parte é óbvio! Que pai e mãe gostam que falem mal do seu filho? O problema é que o escritor não pode se apegar e assim como a criança, o livro não foi feito para ele, mas para o mundo.

Hora de aceitar. Hora de amadurecer. Hora de viver os frutos da infância do bebê, as crises da adolescência, o temor da fase adulta. Pode ser que seu filho nunca te abandone, pode ser que ele morra ainda criança, pode ser que ele seja um jogador de sucesso. O seu livro pode ou não dar certo, mas ele é seu e isso ninguém vai tirar de você.


Tédio.
Cansaço.
Distração.
Idéia!

Opa! É hora de fazer um novo filho de novo...


Feliz dia do Escritor.


3 comentários:

  1. Escrever é mais do que registrar palavras!

    É oferecer a quem queira a possibilidade de conhecer uma história ou um sentimento que por comprometimento do autor foi contada às partes, à revelia da verdade ou da lógica.

    É também, criar o início de uma conversa, torcer para que lhe dêem andamento, tempero ou forma diferentes das que já estão colocadas, que são, aos olhos do autor ... tão familiares.

    Mas é, acima de tudo, esperar a troca da prosa, do verso, do segredo e de histórias que possam alimentar o repertório para os próximos textos e por consequência ... novas conversas.

    O escritor é no fundo um conversador incurável que faz da palavra escrita o registro de suas ideias e o palco de sua fala.

    Mauricio Pimentel - 12 Mar 2009

    ResponderExcluir
  2. OLÁ, TUDO BEM?!
    TENHO UM BLOG SOBRE LIVROS E FILMES E QUERIA SABER SE VC GOSTARIA DE SE TORNAR UM PARCEIRO.
    OBG...
    EVA CARDOSO
    EMAIL: loucosporlivrosefilmes@hotmail.com
    BLOG:
    http://loucosporlivrossefilmes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Estou vivendo um pouco disso que você escreveu.Não acho que meu livro seja o melhor de todos, nem que minha ideia seja a mais original, mas estou contente com o trabalho que tenho feito. E também não acho que seja assim tão fácil ser aceito por uma editora, por isso vou apostar na minha própria assessoria quando o momento certo chegar!

    Acompanho alguns de seus quadros no Sobre Livros, são muito bons! Mas não abandone sua página, ela é importante.

    Beijos.

    ResponderExcluir